corredor polonês

O corredor polonês na graduação de jiu-jitsu é legal?

corredor polonês

 

O final de ano vem chegando, juntamente com ele a temporada de graduações espalhadas por todo o Brasil.

Momento de festa, realização de um sonho, reconhecimento de um ano duro de muitos treinos e do famoso CORREDOR POLONÊS.

Eu particularmente como professor, entendo que a prática da saraivada de faixas depois da graduação não é legal, pois, a graduação é um momento de festa e alegria, momento de confraternização e reconhecimento pelos objetivos alcançados, sendo, a meu ver, desnecessária a surra de faixa.

Muitas vezes até os familiares dos alunos estão ai assistindo a graduação e como não conhecem nossa arte, ficam assustados com a prática, sem entender muito bem o que está acontecendo.

No vídeo abaixo explico melhor porque não sou a favor da dita tradição.



Recentemente um professor inovou a “tradição” do corredor e resolveu fazer o arremesso de aluno, gerando grande repercussão no meio da arte suave.

A discussão veio a tona novamente depois de um post do Professor Fábio Gurgel publicar em seu blog que já foi a favor do corredor e inclusive era uma prática comum na sua academia, mas recentemente disse não ser uma prátps_phenixica com espaço nos dias de hoje no jiu-jitsu.

Conversamos com o Professor Paulo Sergio da PS Phenix e ele defendeu a prática desde que feita com cautela e moderação:

Procuro continuar essa tradição que acho sadia desde que feita com respeito ao atleta. Não deixo que usem a faixa, só um tapa de mão aberta nas costas e os graduados até o seu nível de graduação podem dar uma pequena queda de quadril ou de pernas.

O professor Paulo Sergio ainda destacou um ponto muito importante, pois, muitos alunos até gostam de passar no corredor sendo motivo de orgulho e finalização de uma etapa.

Assim falou:

O que passo para os meus alunos é que aquilo é um ‘batismo’, e os alunos que estão sendo graduados até pedem pra passar demonstrando um orgulho em ser batizado pelo seu professor e colegas. marciano_

Por outro lado, O professor Alexandre Marciano da Gracie Barra Joinville, conforme publicado no seu Canal do YouTube MINUTO JIU-JITSU  se posicionou totalmente contrário ao corredor polonês:

A graduação é pra mim um momento muito especial, é um momento de coroação do aluno, onde ele é prestigiado com a mudança de faixa baseado no que ele apresentou durante as aulas. […]. É um momento especial que deve ser celebrado com aplausos, com cumprimento dos seus colegas de treino porque ele venceu uma etapa. 

Opiniões a parte, o fato é que o corredor polonês está aí sendo utilizado em muitas das academias de jiu-jitsu espalhadas pelo Brasil e pelo mundo, sendo que certamente não deixará de existir, pois, além dos professores, muitos alunos – futuros professores –  defende a pratica com unhas e dentes.

O ideal é sempre achar um bom senso, como fez o Mestre Paulo Sérgio, respeitando em primeiro lugar a integridade física do atleta acima de tudo.

E você caro leitor, o que acha da prática, ela existe ou não onde você treina?

Deixe sua resposta aí nos comentários.

Oss.

Faixa preta e professor de jiu-jitsu da Gracie Barra, proprietário do canal no youtube JIU-JITSU TIME e colaborador do portal de lutas Sul Tatame. Instagram: @luizfloresbjj LUZ RICARDO FLÔRES é faixa preta e professor de jiu-jitsu, proprietário do canal no youtube JIU-JITSU TIME e colaborador do portal de lutas Sul Tatame. Instagram: @luizfloresbjj
atama

Loja Online SulTatame

Os melhores produtos!

contato@sultatame.net

Tel.: 48 3030-3030

Todos os Direitos Reservados | SulTatame 2015

Sultatame

ИТ новости